Início / Especial / Agentes de vigilância ambiental exigem reconhecimento e melhores condições de trabalho

Agentes de vigilância ambiental exigem reconhecimento e melhores condições de trabalho

Foto: Anna Cléa Maduro

Proposta pelo deputado Prof. Reginaldo Veras (PDT), a audiência pública realizada hoje (24) na Câmara Legislativa do Distrito Federal reuniu dezenas de servidores das áreas de vigilância ambiental. As categorias reivindicaram melhores condições de trabalho, reformulações nas questões trabalhistas e melhorias na infraestrutura das sedes.

Foto: Anna Cléa Maduro

Foto: Anna Cléa MaduroProposta pelo deputado Prof. Reginaldo Veras (PDT), a audiência pública realizada hoje (24) na Câmara Legislativa do Distrito Federal reuniu dezenas de servidores das áreas de vigilância ambiental. As categorias reivindicaram melhores condições de trabalho, reformulações nas questões trabalhistas e melhorias na infraestrutura das sedes.

O autor da audiência, também presidente da Comissão de Educação, Saúde e Cultura da Casa (CESC), se colocou à disposição para ouvir os pleitos e encaminhá-los pessoalmente aos órgãos e secretarias competentes. Segundo o distrital o seu gabinete foi procurado no início do ano pelos representantes para tratar dessas questões “complexas”.

Para o diretor de Comunicação e Imprensa do Sindicato dos Servidores Públicos Federais no DF, Carlos Henrique Ferreira, as carências estão afetando não só o trabalho nas inspetorias, mas o contato “direto e necessário” com a população do DF. Carlos defendeu ainda a contratação de profissionais concursados em detrimento dos temporários. “É uma ação nociva, visto que a capacitação dos agentes dura quase 1 ano. Quando eles estão próximos de concluir o curso, faltam poucos meses para o término do contrato desses profissionais”, explicou.

O representante enumerou os insumos básicos diários que estão em falta nos órgãos, além de apresentar fotos contendo equipamentos, como impressoras, compradas com o salário dos próprios servidores. “Além dos materiais de escritório como lápis, borracha e cola, os profissionais estão trabalhando sem álcool, raticida e protetor solar. Sem contar o uniforme, pois há muitos deles com as botas furadas”, concluiu Carlos.

Sandra Jardeny, representante da Subsecretaria de Gestão Participativa da Secretaria de Saúde do DF, adiantou que o pleito do grupo de trabalho será atendido e deverá ter sua composição divulgada ainda esta semana. “Aposto muito no GT [grupo de trabalho]. São pessoas que somam e dão sustentabilidade à discussão”, ponderou. Sandra informou que há ainda uma reunião agendada para a próxima quinta-feira para a discussão das carreiras dos servidores.

O subsecretário de Relações Legislativas da Secretaria de Estado de Relações Institucionais e Sociais, Sérgio Nogueira, afirmou ter ouvido e registrado as demandas para apresentá-las ao secretário e ao governador. “Vamos articular para tentar solucionar os problemas de vocês. Esse é o nosso papel”, explicou.

PASUS

Quanto à parcela autônoma de integração ao sistema único de saúde (PASUS), os servidores federais cedidos à Secretaria de Saúde entendem que a gratificação precisa ser equiparada, visto que as funções desempenhadas pelos servidores, independentemente do nível superior ou médio, são as mesmas.

Muitos profissionais que utilizaram o espaço da tribuna reclamaram ainda da discrepância de salários em relação a outros servidores. “Nós, agentes de vigilância ambiental, sentimos uma discriminação dentro da Diretoria de Vigilância Ambiental em Saúde. Além das condições de trabalho queremos, sobretudo, ser reconhecidos”, garantiu a servidora Karina Raquel.

Ao final da audiência o deputado Prof. Reginaldo Veras parabenizou os servidores pelo compromisso de exigir melhores condições de trabalho. “A preocupação maior foi em pedir melhorias na condição de trabalho e não somente equiparação salarial. Isso é louvável”, destacou. O parlamentar afirmou que continuará acompanhando as demandas, inclusive sugeriu que um integrante da Comissão de Educação, Saúde e Cultura da Casa integre o grupo de trabalho a ser criado. Veras irá entregar um documento com as demandas e argumentos apresentados ao secretário de Relações Institucionais e Sociais, Marcos Dantas, e ao governador Rodrigo Rollemberg.

Anna Cléa Maduro (Assessoria de Imprensa)

Foto: Anna Cléa Maduro

Sobre Anna Cléa Maduro

Anna Cléa Maduro
Jornalista e fotógrafa. Assessora atualmente o deputado Prof. Reginaldo Veras (PDT).

Veja também

CCJ aprova prioridade ao professor com deficiência no procedimento de escolha de turmas

Compartilhar via WhatsApp  Por Ísis Dantas A prioridade ao professor com deficiência da Carreira Magistério …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Acessibilidade