fbpx

Diretores terão que informar aos pais, ao Ministério Público e ao Conselho Tutelar o alto índice de faltas e a evasão escolar

Agora caberá aos diretores de escolas públicas de educação básica do Distrito Federal o dever de efetivar o Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA) e a Lei de Diretrizes e Bases da Educação (LDB) notificando os pais ou responsáveis legais dos alunos sobre faltas que alcancem metade do limite autorizado por lei.
A proposta, que é de autoria do presidente da Comissão de Educação, Saúde e Cultura (CESC), deputado Prof. Reginaldo Veras (PDT), foi aprovada na noite desta terça-feira (17), em 2º turno e redação final.


Foto: Carlos Gandra/CLDF

Agora caberá aos diretores de escolas públicas de educação básica do Distrito Federal o dever de efetivar o Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA) e a Lei de Diretrizes e Bases da Educação (LDB) notificando os pais ou responsáveis legais dos alunos sobre faltas que alcancem metade do limite autorizado por lei.
A proposta, que é de autoria do presidente da Comissão de Educação, Saúde e Cultura (CESC), deputado Prof. Reginaldo Veras (PDT), foi aprovada na noite desta terça-feira (17), em 2º turno e redação final.

De acordo com o projeto, atingido o limite de metade das faltas autorizadas pela LDB a que o aluno tem direito, caberá ao diretor escolar notificar os pais ou responsáveis legais para que compareçam ao estabelecimento de ensino, em até 72 horas, para que apresentem justificativas sobre a ausência dos filhos, tutelados ou curatelados.

Da notificação expedida deverão constar as medidas a que se sujeitam os responsáveis legais e os pais, no caso de abandono intelectual, na forma do art. 129 do ECA e do art. 246 do Código Penal brasileiro.

Caso os responsáveis ou os pais dos alunos faltosos, devidamente notificados, não compareçam no prazo legal será dever do diretor escolar informar o Conselho Tutelar da respectiva Região Administrativa e a Promotoria de Justiça de Defesa da Infância e da Juventude do Ministério Público do Distrito Federal e Territórios sobre os fatos.

Segundo o autor da proposta, que é professor da rede pública de ensino há 22 anos, esse projeto de lei é um importante instrumento de proteção à criança e ao adolescente, visto que a Educação é o maior veículo de formação humanística e de diminuição da violência.

“O poder público não pode se omitir no dever conjunto com a família de proteger jovens em estágio de desenvolvimento físico e psíquico, os quais necessitam de acompanhamento escolar constante”, defende Reginaldo Veras.

Agora o PL segue para sanção do governador do DF.

Ísis Dantas, da Assessoria de Imprensa

Sobre Ísis Dantas

Ísis Dantas
Formada em Comunicação Social/ Habilitação Jornalismo pela Universidade Católica de Brasília em 2004. Trabalha como Assessora de Imprensa na Câmara Legislativa desde 04 de setembro de 2006. Atualmente assessora o deputado Prof. Reginaldo Veras (PDT), reeleito para seu segundo mandato parlamentar.

Veja também

Veras recebe Secretário de Relações Institucionais da PMDF

Compartilhar via WhatsApp O trabalho não para . Hoje (27) pela manhã, o deputado Prof. …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Acessibilidade