fbpx

Intolerância religiosa: ataques a terreiros de Umbanda e Candomblé serão relatados em Audiência Pública

É por esse motivo que a Câmara Legislativa do DF abrirá espaço para o lançamento do 1º Fórum em Defesa da Liberdade das Religiões de Matrizes Africanas, Afro-Brasileiras e Ameríndias nesta sexta-feira (13), às 19h. A iniciativa é dos deputados Claudio Abrantes (Rede), Luzia de Paula (Rede), Reginaldo Veras (PDT) e Ricardo Vale (PT), que receberão representantes dos centros religiosos, interessados e membros do Executivo no plenário da Casa.

Segundo informações da Coordenação de Enfrentamento ao Racismo da Secretaria Especial da Promoção da Igualdade Racial (Sepir), mais de 10 crimes contra centros religiosos de matrizes africanas já ocorreram, somente este ano, no Distrito Federal e Entorno. O contexto de intolerância religiosa é uma realidade no Brasil e precisa ser discutido, sobretudo no âmbito distrital.

É por esse motivo que a Câmara Legislativa do DF abrirá espaço para o lançamento do 1º Fórum em Defesa da Liberdade das Religiões de Matrizes Africanas, Afro-Brasileiras e Ameríndias nesta sexta-feira (13), às 19h. A iniciativa é dos deputados Claudio Abrantes (Rede), Luzia de Paula (Rede), Reginaldo Veras (PDT) e Ricardo Vale (PT), que receberão representantes dos centros religiosos, interessados e membros do Executivo no plenário da Casa.

Para o deputado Prof. Reginaldo Veras, “é imprescindível lutarmos pela liberdade das pessoas. É direito de qualquer um praticar a sua religião sem qualquer tipo de preconceito e agressão, conforme prevê o artigo 5º da Constituição Federal, destaca.

O parlamentar Cláudio Abrantes, também propositor da Audiência, acredita que o respeito e apoio às pessoas que são atacadas devido a cultura e religião que possuem são “desumanas”. “Nós precisamos, acima de tudo, de respeito. Atitudes como essas de ataques a terreiros de Umbanda e Candomblé são cruéis. Temos que discutir o assunto e dar espaço para que as pessoas mostrem suas crenças”, defende o deputado.

 Ataques contínuos

Os terreiros de Umbanda e Candomblé vêm sendo atacados no Distrito Federal, Goiás e no Entorno. Só o terreiro de Candomblé do babalorixá Babazinho de Oxalá, em Santo Antônio do Descoberto, foi atacado três vezes este ano. O segundo ataque, sofrido no dia 12 de setembro, destruiu totalmente o terreiro, onde atearam fogo e arrombaram uma janela. Após 11 dias um novo ataque destruiu todas as imagens de orixás do local.

Em Águas Lindas de Goiás os crimes também vêm ocorrendo com frequência. Em setembro um grupo de homens derrubou o portão e ateou fogo, queimando parte do terreiro. Por sorte os vizinhos conseguiram controlar parte do fogo e ninguém ficou ferido. As delegacias das duas cidades investigam os ataques, mas até agora ninguém foi preso ou responsabilizado pela violência causada pela intolerância religiosa.

Lançamento do 1º Fórum em Defesa da Liberdade das Religiões de Matrizes Africanas, Afro-Brasileiras e Ameríndias

Data: 13/11, sexta-feira

Horário: 19h

Local: Plenário da CLDF


Anna Cléa Maduro e Marina Marquez (Assessoria de Imprensa do deputado Prof. Reginaldo Veras e Cláudio Abrantes)

 

Sobre Anna Cléa Maduro

Anna Cléa Maduro
Jornalista e fotógrafa. Assessora atualmente o deputado Prof. Reginaldo Veras (PDT).

Veja também

“Nossa estrutura não é falida. Ela é viciada”, diz deputado

Compartilhar via WhatsApp Por Sandro Gianelli – 28 de agosto de 2020 Reginaldo Veras (PDT) diz que as …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Acessibilidade