fbpx

Reeleição de diretores e vice-diretores de escolas públicas é debatida na CLDF

Gestores, professores e interessados na alteração da Lei da Gestão Democrática (Lei 4.751/2012) e na reeleição dos diretores e vice-diretores das escolas públicas do Distrito Federal estiveram na Câmara Legislativa na manhã desta segunda-feira (4) para discutir a questão.

O debate foi promovido pela Comissão de Educação, Saúde e Cultura (CESC), por iniciativa de seu presidente, deputado Prof. Reginaldo Veras (PDT), em razão de o Plano Distrital de Educação (PDE), sancionado em julho de 2015, determinar que a Lei da Gestão Democrática deve passar por uma revisão em até um no após a sua aprovação.

Um dos pontos polêmicos da legislação que devem ser alterados diz respeito a reeleição de diretores e vice-diretores. O Artigo 41 da Lei estabelece que a diretoria eleita terá mandato de três anos e que é permitida a reeleição para um único período subsequente. A grande questão é que em 2012 diretores e vice-diretores foram eleitos e ficaram nos cargos apenas até 2013, quando houve nova eleição para mandato completo.

Os gestores pleiteiam que a primeira eleição seja desconsiderada e não conte para fins de reeleição, já que o mandato foi incompleto (apenas um ano e cinco meses) ou considerado um “mandato tampão”. Assim eles poderiam concorrer no pleito que acontecerá em novembro deste ano.

Reeleição –  Júlio Barros, representante do Sindicato dos Professores do DF (SINPRO-DF), esclareceu que o SINPRO defende a reeleição, mas não reeleição por tempo indeterminado.

“Precisamos ampliar o debate sobre as alterações da Lei da Gestão Democrática, ele não deve ser reduzido apenas aos aspectos eleitorais.  Discutir a regulamentação do Programa de Descentralização Administrativa e Financeira – PDAF também é fundamental para ajudar os diretores a fazerem gestões eficientes”, disse. Em relação ao processo eleitoral, o SINPRO não defende a reeleição “ad eternum”, mas acredita que gestores devem ter o direito de tentar a reeleição”, completou.

O presidente da Comissão de Educação, deputado Professor Reginaldo Veras, reforçou a necessidade de se “ouvir sempre” os envolvidos para conhecer as demandas. Na Secretaria de Educação desde 1992, o distrital destacou ter ocupado cargos de direção por quatro anos e ter feito parte do Conselho Escolar. Ele lançou uma “ideia” para começar a ser avaliada e discutida: a previsão de uma reeleição, a partir da alteração da lei atual, bem como a possibilidade de novas reeleições caso não exista outra chapa inscrita na escola.

Também participaram do evento o secretário – geral do Sindicato dos Trabalhadores em Escolas Públicas do Distrito Federal (SAE-DF), Denivaldo Alves, o diretor do Centro de Ensino Médio 09 de Ceilândia, Prof. José Gadelha, além de Coordenadores Regionais de Ensino, professores e pais de alunos da rede pública de ensino do DF.

PDE e legislação para educação – O Subsecretário de Planejamento, Acompanhamento e Avaliação da Secretaria de Educação do Distrito Federal, Prof. Fábio Pereira de Sousa, informou aos presentes que, em razão da aprovação do Plano Distrital de Educação, o Executivo precisará enviar à Casa,  até julho de 2016, projetos que versem sobre a adequação da Lei da Gestão Democrática; sobre o sistema distrital de ensino; sobre a responsabilidade educacional; sobre o Programa de Descentralização Administrativa e Financeira – PDAF e sobre a criação do Conselho de Representantes dos Conselhos Escolares – CRECE.

Segundo ele, a discussão dos projetos se dará através de uma comissão central formada pelo SINPRO, SAE, Fórum Distrital de Educação, Secretaria de Educação e Câmara Legislativa. Posteriormente representantes das 14 Coordenações Regionais de Ensino (CREs) serão ouvidos e já no mês de maio terão início conferências locais em cada CRE para discutir nos moldes da discussão realizada à época da elaboração do PDE.

“Esperamos consolidar, numa conferência regional, as Leis do PDAF e da Gestão Democrática, que são as Leis que demandam mais urgência e são necessárias nesse momento. E aí sim trazer para a Câmara Legislativa uma proposta elaborada, como fizemos com o Plano Distrital de Educação”, concluiu.

Foto: Rinaldo Morelli/CLDF

Ísis Dantas, da Assessoria de Imprensa

Sobre Ísis Dantas

Ísis Dantas
Formada em Comunicação Social/ Habilitação Jornalismo pela Universidade Católica de Brasília em 2004. Trabalha como Assessora de Imprensa na Câmara Legislativa desde 04 de setembro de 2006. Atualmente assessora o deputado Prof. Reginaldo Veras (PDT), reeleito para seu segundo mandato parlamentar.

Veja também

TCDF analisa representação que pede volta de pagamento de benefício para Educadores Sociais Voluntários

Compartilhar via WhatsApp Nesta quarta-feira (24), às 15h, o Tribunal de Contas do DF (TCDF) …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Acessibilidade