Início / Notícias / Destaques / PDE: Secretaria de Educação enviará projetos de lei à CLDF nos próximos dias
Foto: Anna Cléa Maduro

PDE: Secretaria de Educação enviará projetos de lei à CLDF nos próximos dias

A garantia do direito à educação – com ênfase no monitoramento dos Planos Nacional e Distrital de Educação (PNE e PDE) – foi tema de audiência pública realizada pela Comissão de Educação, Saúde e Cultura (CESC) na manhã desta segunda-feira (13). A iniciativa faz parte das discussões da Semana de Ação Mundial (SAM), uma ação realizada simultaneamente em mais de 100 países que tem como objetivo envolver a sociedade civil em ações de incidência política em prol do direito à educação.

A preocupação com a falta de recursos e as incertezas do cenário político nacional marcaram as manifestações da audiência pública. O PDE completará um ano de vigência no próximo dia 14 de julho. O presidente da Comissão, deputado Prof. Reginaldo Veras (PDT), destacou que a participação da comunidade escolar é fundamental para que as metas do Plano sejam respeitadas, garantindo assim uma educação pública, gratuita e de qualidade. “ É preciso avaliar o que está dando certo e fazer as correções necessárias para que as conquistas postas no PDE não fiquem apenas no papel”, disse.

O representante do Sindicato dos Professores (Sinpro), Júlio Barros, manifestou preocupação com a interferência do contexto político nacional atual no cumprimento das metas previstas no plano nacional e no plano distrital. O sindicalista informou que a categoria está especialmente preocupada com a revisão das regras da gestão democrática. Segundo Barros, o Sinpro apresentará em breve aos deputados distritais uma proposta de aperfeiçoamento da legislação.

Já a representante da Associação de Pais e Alunos (ASPA), Gracy Kelly Diniz Florêncio, ressaltou que os cortes nos recursos, em função da crise econômica, afetam a efetiva implementação das metas do Plano. Para ela, no entanto, o maior desafio neste primeiro ano de PDE é trazer os pais para mais perto das escolas. Em sua opinião, a participação efetiva dos pais na vida escolar é fundamental para a construção de uma educação de qualidade.

Nesta mesma linha, o deputado Wasny de Roure (PT), reforçou a necessidade da participação da sociedade no acompanhamento da implementação do Plano Distrital. “A sociedade tem que engajar e fazer o monitoramento do PDE”, reformou o parlamentar.

Catarina Almeida, da Campanha Nacional de Educação, reforçou a importância da realização da Semana de Ação Mundial, que acontece pela segunda vez no DF. Para ela, o direito à educação não se dá somente pelo acesso e permanência na escola. Catarina Almeida defende que a escola ofereça as condições para que os estudantes se desenvolvam com qualidade.

Na avaliação do professor Clerton Oliveira, do Fórum Distrital de Educação, o momento atual é crítico e somente a união da sociedade poderá evitar retrocessos de direitos. O professor lamentou a falta de apoio institucional do GDF para o funcionamento do Fórum e cobrou melhorias na estrutura física e equipe para que a entidade possa fazer o adequado monitoramento, previsto no PDE.

Projetos – Na ocasião, o Subsecretário de Planejamento, Acompanhamento e Avaliação da Secretaria de Educação do DF, Fábio Souza, enalteceu a parceria entre a CESC e a Secretaria de Educação e disse que nos próximos dias a pasta enviará à Casa cinco projetos de lei, conforme determina o PDE.

“Já elaboramos as propostas iniciais dos projetos que tratam da regulamentação do Programa de Descentralização Administrativa e Financeira (PDAF), da revisão da Lei da Gestão Democrática, da criação de legislação sobre o Sistema de Ensino, a responsabilidade educacional e o Conselho dos Conselhos Escolares. Entretanto, o Fórum Distrital de Educação fez gestão junto a SEE para que as propostas fossem discutidas e melhoradas pelo colegiado antes de serem enviadas à Câmara”, disse.

Segundo Fábio, além dos PLs que devem ser enviados à Casa até 14 de julho – prazo de 360 dias após a aprovação do PDE, a Secretaria está empenhada em atender o disposto na meta 1 do plano, que trata da universalização da educação infantil na pré-escola para crianças de 4 a 5 anos de idade e ampliação da oferta de educação infantil em creches públicas e conveniadas.

“Estamos trabalhando muito para iniciarmos o segundo semestre com todas as crianças de 4 a 5 anos na escola”, disse. “ Um grande desafio é em relação a oferta de vagas em creches para crianças de 0 a 3 anos. Hoje atendemos 42% da população dessa faixa etária. Até o fim da vigência do plano precisaremos aumentar esse percentual em 18% para chegarmos aos 60%, como determina o PDE.  Será um investimento grande, mas estamos nos empenhando para alcançar a meta”, completou.

Monitoramento – Outro ponto abordado durante a audiência pública foi a necessidade de criação de uma comissão de monitoramento do PDE, conforme determinado em Lei. Segundo Fábio Souza, a Secretaria de Educação está finalizando a indicação dos nomes que comporão a comissão e na próxima semana, no mais tardar, os nomes devem ser divulgados.

Para o representante do Sindicato dos Professores do DF (SINPRO-DF), o professor Júlio Barros, para além das necessidades de monitoramento e avaliação do PDE é preciso estabelecer critérios para que nenhum governo deixe de cumprir as metas e estratégias do plano.

“Estamos otimistas, mas somos realistas. Por isso, criamos o observatório do PDE. Estaremos atentos e cobraremos, ao longo dos 10 anos de vigência do plano, a implementação de todas as metas e estratégias”, disse.

Veja as fotos aqui.

Foto: Anna Cléa Maduro

 

Ísis Dantas, da Assessoria de Imprensa, com informações de Luís Cláudio Alves da CLDF

Sobre Ísis Dantas

Ísis Dantas
Formada em Comunicação Social/ Habilitação Jornalismo pela Universidade Católica de Brasília em 2004. Trabalha como Assessora de Imprensa na Câmara Legislativa desde 04 de setembro de 2006. Atualmente assessora o deputado Prof. Reginaldo Veras (PDT), reeleito para seu segundo mandato parlamentar.

Veja também

Câmara Legislativa debaterá situação das escolas do campo do DF

Compartilhar via WhatsApp As escolas do campo do Distrito Federal, conhecidas como escolas rurais, vem …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Acessibilidade