Início / Notícias / Destaques / Arquivada proposta que retirava do BRB exclusividade de pagamento de servidores
Foto: Ísis Dantas

Arquivada proposta que retirava do BRB exclusividade de pagamento de servidores

Durante a reunião da Comissão de Constituição e Justiça (CCJ), realizada na manhã desta terça-feira (8), os deputados rejeitaram por três votos e duas ausências a Proposta de Emenda à Lei Orgânica (PELO) nº 35/2016, de autoria das deputadas Telma Rufino (PROS) e Celina Leão (PPS) que buscava retirar do Banco de Brasília (BRB) a exclusividade no pagamento dos servidores públicos do Distrito Federal.

O texto da PELO buscava revogar os parágrafos da LODF que estabelecem os pagamentos das remunerações, de qualquer natureza, aos servidores públicos da administração direta e indireta do serviço público, inclusive aos empregados de empresas públicas e das sociedades de economia mista, devem ser efetuados exclusivamente pelo BRB.

A reunião foi acompanhada por inúmeros servidores do Banco, que se posicionaram contra a aprovação da PELO e comemoraram a rejeição da matéria, que teve sua tramitação concluída na Casa, sendo arquivada.

Para o presidente da CCJ, deputado Professor Reginaldo Veras (PDT), a proposta é desnecessária.

“Hoje já existe o sistema da portabilidade que permite o correntista insatisfeito transferir sua conta para outra instituição sem nenhuma dificuldade ou burocracia. Além disso o BRB é um banco de fomento econômico no Distrito Federal e que tem como seu maior capital os servidores públicos que mantem suas contas nele”, disse. “Se os servidores públicos saírem do BRB é melhor fechar o banco”.

Foto: Ísis Dantas

Rádios Comunitárias – Durante a reunião também foi aprovado o PL 1.399/2016, de autoria da deputada Luzia de Paula (PSB), que institui o Programa Distrital de Fomento ao Serviço de Radiodifusão Comunitária.

O deputado Prof. Reginaldo Veras, relator do PL, apresentou jurisprudência favorável à proposta em seu parecer. “Há entendimento do STF favorável a duas leis semelhantes dos municípios de Uberaba-MG e Campinas-SP, portanto está afastada a tese da inconstitucionalidade. Por outro lado, como vivemos em um momento de crise financeira, a proposta pode ser considerada inapropriada pelo governador, que tem poder de veto”, disse Veras.

Além de Reginaldo Veras, participaram da reunião os deputados Israel Batista (PV) e Júlio César (PRB).

Ísis Dantas, da Assessoria de Imprensa

Sobre Ísis Dantas

Ísis Dantas
Formada em Comunicação Social/ Habilitação Jornalismo pela Universidade Católica de Brasília em 2004. Trabalha como Assessora de Imprensa na Câmara Legislativa desde 04 de setembro de 2006. Atualmente assessora o deputado Prof. Reginaldo Veras (PDT), reeleito para seu segundo mandato parlamentar.

Veja também

Câmara Legislativa debaterá situação das escolas do campo do DF

Compartilhar via WhatsApp As escolas do campo do Distrito Federal, conhecidas como escolas rurais, vem …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Acessibilidade