Início / Notícias / Destaques / Veras critica a lei que estabeleceu a Base Nacional Comum Curricular
Foto: Ísis Dantas

Veras critica a lei que estabeleceu a Base Nacional Comum Curricular

Por Ísis Dantas

Nesta quarta-feira (1), durante a sessão de abertura dos trabalhos do semestre legislativo, o deputado Prof. Reginaldo Veras (PDT) ocupou a tribuna para fazer duras críticas a lei que estabeleceu a Base Nacional Comum Curricular. O parlamentar elencou inúmeros problemas na legislação e questionou os objetivos da proposta, que define apenas o Português e a Matemática como disciplinas obrigatórias, deixando as demais como opcionais.

Segundo Veras, esta decisão provocará a demissão de milhares de professores que verão suas disciplinas serem retiradas dos currículos das escolas públicas municipais e estaduais nos próximos anos.

Para ele, a proposta de Base Nacional Comum Curricular tem como único objetivo fortalecer a escola particular, a escola privada; limitar, ainda mais, o acesso dos estudantes das escolas públicas à universidade superior; e acabar com uma pequena conquista que este País alcançou nos últimos anos.

“Quinze anos de avanço com muita dificuldade podem ser destruídos por uma canetada de um Presidente, de um governo ilegítimo, de um governo que nada entende de educação e que se recusou a discutir com a sociedade”, disse. “A Reforma do Ensino Médio é um retrocesso aos educadores, estudantes e profissionais da Educação. Precisamos lutar contra essa medida que dificultará ainda mais o acesso de alunos da rede pública ao ensino universitário”, concluiu.

 

 

Sobre Ísis Dantas

Ísis Dantas
Formada em Comunicação Social/ Habilitação Jornalismo pela Universidade Católica de Brasília em 2004. Trabalha como Assessora de Imprensa na Câmara Legislativa desde 04 de setembro de 2006. Atualmente assessora o presidente da Comissão de constituição e Justiça (CCJ), deputado Prof. Reginaldo Veras (PDT).

Veja também

Sabatina: CCJ aprova nome para comandar a PGDF

Compartilhar via WhatsAppPor Ísis Dantas Na manhã desta terça-feira (12), a Comissão de Constituição e …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

Acessibilidade