fbpx
Foto: Ísis Dantas

Gestores e parlamentares discutem regulamentação do PDAF

As legislações que regem a Gestão Democrática nas escolas e o Programa de Descentralização Administrativa e Financeira (PDAF) – Lei nº 6.023/2017, grandes conquistas dos educadores do Distrito Federal, foram temas de debate na Câmara Legislativa do DF. O evento realizado na última sexta-feira (12), proposto pelos deputados Prof. Reginaldo Veras (PDT) e Arlete Sampaio (PT), contou com a presença de professores, gestores, representantes de sindicatos da categoria, além do Fórum Distrital de Educação.

A intenção dos parlamentares era ouvir de representantes do Executivo sobre as fragilidades da Lei PDAF, visto que hoje não há periodicidade e cumprimento de prazos no envio de recursos do programa para os gestores educacionais, além de ouvir sugestões e propor soluções para a questão. Entretanto, representantes da Secretaria de Educação não ocuparam a mesa, ficando apenas num lugar de escuta durante a audiência pública.

Hoje o PDAF enfrenta vários problemas, desde atrasos no repasse de verbas a problemas burocráticos. Professores presentes à audiência reclamaram que os diretores dos estabelecimentos escolares “têm os seus CPFs comprometidos” com as despesas que precisam realizar e sugeriram que os profissionais de contabilidade também sejam responsabilizados. E ainda que seja elevado o valor per capita que é repassado pelo GDF

Na ocasião, além do PDAF e da Gestão Democrática, temáticas como a militarização nas escolas, o Plano Distrital de Educação (PDE) e a reeleição dos dirigentes escolares foi abordada.  O fim do mandato dos atuais dirigentes das escolas públicas – uma nova eleição está prevista para o segundo semestre – preocupa a comunidade escolar. Um estudo apresentado no evento prevê que 87% dos estabelecimentos de ensino terão as equipes substituídas o que poderia significar “descontinuidade” de várias ações.

“O gestor escolar é um prefeito”, comparou Veras, chamando a atenção para as inúmeras atividades que os responsáveis pelas escolas precisam assumir. Enquanto a deputada Arlete Sampaio (PT), considerou os relatos dos professores “questões extremamente relevantes vivenciadas no dia a dia”. Ela lamentou que, apesar disso, “os governos não consigam desenvolver projetos que possam resolver os problemas que vêm sendo apontados”. Como exemplo, citou a questão da violência.

Participaram da audiência pública o ex deputado Wasny de Roure (PT); o Coordenador do Fórum Distrital de Educação, o sr. Júlio Barros; a diretora de Formação do Sinpro, a Sra. Luciana Custódio; o representante do deputado Cláudio Abrantes, o Sr. Fábio Souza e o representante do Sindicato dos Assistentes em Educação (SAE), o Sr. Denivaldo Alves.

Veja a audiência pública na íntegra

Acesse as fotos do evento

Audiência pública para discutir a regulamentação do PDAF e a gestação democrática nas escolas

Sobre Ísis Dantas

Ísis Dantas
Formada em Comunicação Social/ Habilitação Jornalismo pela Universidade Católica de Brasília em 2004 e estudante de Comunicação e Marketing. Ísis Dantas trabalha como assessora de imprensa na Câmara Legislativa há quase 15 anos - desde 04 de setembro de 2006. Atualmente assessora o deputado Prof. Reginaldo Veras (PDT), reeleito para seu segundo mandato parlamentar.

Veja também

Veras comemora início do processo de regularização do Setor Primavera, em Taguatinga

Compartilhar via WhatsApp Uma luta antiga da comunidade do Setor Primavera, em Taguatinga, parece que …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Acessibilidade