Início / Notícias / Destaques / Artigo: A Nova política não se faz com velhas práticas
Foto: Ísis Dantas

Artigo: A Nova política não se faz com velhas práticas

NOVA POLÍTICA NÃO SE FAZ COM VELHAS PRÁTICAS

NOVA POLÍTICA NÃO SE FAZ COM VELHAS PRÁTICASComo deputado distrital e cidadão, estou envergonhado com a potencial troca de favores entre o Governo e a Câmara dos Deputados para a aprovação da Reforma da Previdência. Recentemente, foi noticiado por inúmeros veículos de comunicação que o Governo, por meio de um Ministro de Estado, prometeu liberar R$ 40 milhões em emendas parlamentares aos deputados que votarem a favor da proposta. Isso é tão imoral que foi questionado até pelos governistas.Não se pode fazer uma nova política com as questionáveis e seculares ações dos mandatários da nação. Não adianta trocar as pessoas, se não há a renovação de ideias e atitudes.

Posted by Reginaldo VERAS on Friday, April 26, 2019

Prof. Reginaldo Veras (PDT)
Deputado distrital

Como deputado distrital e cidadão, estou envergonhado com a potencial troca de favores entre o Governo e a Câmara dos Deputados para a aprovação da Reforma da Previdência.

Recentemente, foi noticiado por inúmeros veículos de comunicação que o Governo, por meio de um Ministro de Estado, prometeu liberar R$ 40 milhões em emendas parlamentares aos deputados que votarem a favor da proposta. Isso é tão imoral que foi questionado até pelos governistas.

No atual e instável contexto político – em que a sociedade espera mudanças –, o que mais envergonha é que muitos que fazem parte desse jogo foram eleitos prometendo uma “nova política”. O que se observa, todavia, é a reprodução das velhas práticas condenadas pelo povo brasileiro.

Usar dinheiro público para fazer negociata e barganha é canalhice. É canalha quem oferta. É canalha quem recebe. É canalha quem é conivente e quem se omite.

Inquieto e insatisfeito com o que observava no cenário local e nacional, entrei na política- eleitoral, entre outras coisas, para provar que é possível fazer diferente. Há quase cinco anos, sou deputado no Distrito Federal. Durante esse período, nunca fiz barganhas nem participei de negociatas. Não me permito incoerências. Sempre votei e voto de acordo com a minha consciência e com o que julgo ser o melhor para a sociedade. Entendo que o parlamentar que troca seu voto por favores não merece o respeito do povo.

Para evitar a troca de liberação de emendas por voto a favor de projetos do Governo, alterei a Lei Orgânica do Distrito Federal, a nossa Constituição.

Consegui aprovar, no final de 2018, a Emenda à Lei Orgânica (ELO) nº 109/2018, que determina que “a execução de emendas parlamentares se dará de forma igualitária e impessoal, independentemente de sua autoria”. Isso impede o achaque, o troca-troca, a “compra de votos”.

Seria interessante que algum deputado federal ou senador apresentasse uma Proposta de Emenda à Constituição (PEC) com conteúdo semelhante, para findar de vez a histórica, umbilical e promíscua relação entre o Governo Federal e o Congresso Nacional.

Dessa forma, observa-se que não se pode fazer uma nova política com as questionáveis e seculares ações dos mandatários da nação. Não adianta trocar as pessoas, se não há a renovação de ideias e atitudes.

Sobre Ísis Dantas

Ísis Dantas
Formada em Comunicação Social/ Habilitação Jornalismo pela Universidade Católica de Brasília em 2004. Trabalha como Assessora de Imprensa na Câmara Legislativa desde 04 de setembro de 2006. Atualmente assessora o deputado Prof. Reginaldo Veras (PDT), reeleito para seu segundo mandato parlamentar.

Veja também

GDF nomeará 412 novos orientadores educacionais nos próximos dias

Compartilhar via WhatsApp GDF nomeará 412 novos orientadores educacionais nos próximos diasGDF nomeará 412 novos …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Acessibilidade